para compartilhar sabores e lembranças olfativas daqui e de outras terras...como o nhoque da nona, o arroz com bacalhau de vovô, as almondegas de minha mãe, o risoto de linguiça do meu pai, o thanksgiving dinner da mammy, o german chocolate cake da cindy, o doce de leite de tia mercedes, o doce de cidra da aninha, o doce de mamão da célia, o doce de pera da margarida, as pimentas da celha, os bolos da semiramis, os patês da rosana e por ai vai....


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

bacalhau gratinado

quando estou preparando bacalhau costumo separar e congelar  as partes menos nobres, as aparas, os pedaços próximo ao rabo para fazer patês ou bacalhau gratinado.
se você desejar fazer este prato e não tiver estas mesmas manias (de endireitar as postas, files do mesmo tamanho etc e tal), compre as lascas que o resultado será o mesmo.

bacalhau gratinado

refogue as lascas ou aparas, (dessalgadas e pré cozidas) em bastante azeite e alho.
faça um molho branco, bechamel simples, com algumas gemas e separe as claras para bater em neve,

monte to pirex:

  1. uma camada de batatas pré cozidas ao dente 
  2. o bacalhau refogado 
  3. cheiro verde, ovos e azeitonas
  4.  regue generosamente com azeite 
  5. bata as claras em neve e junte ao bechamel,
  6. cubra todo o pirex
  7. polvilhe queijo ralado e leve para gratinar

observações desta cozinha:

para este pirex pequeno usei 2 gemas para o bechamel e 2 claras para preparar o creme de cobertura
estas quantidades variam de acordo com a quantidade e o tamanho do pirex

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

chocoloate chips cookies (bolo pronto)

estes cookies são com bolo pronto, de saquinho ou caixinha, são super simples de fazer e ficam bem saborosos.
raramente tenho estes bolos em casa, mas de vez em quando compro festa ou baunilha, para fazer uma receita sensacional de torta crocante que veio lá da cozinha da Cris.
quando vi a receita destes cookie, usando mistura de bolo pronto, lá no blog da querida Sandra Reis, o delicioso Receitas  do Caldeirão da Bruxa Solar, na versão chocolate,  fiquei tentada em testar, mas como prefiro cookies de massa clara, achei que daria certo uma adaptação de massa branca com pedaços de chocolate, o resultado foi excelente, aprovadíssimo!


cookies de bolo de caixinha

1 pacote de bolo pronto festa ou baunilha
1 ovo
40 g de manteiga

misture tudo com a ponta dos dedos até ficar uma massa homogênea, agregue as gotas ou pedaços de chocolate, deixe descansar 30 minutos em geladeira, em seguida faça as bolinhas e coloque sobre papel manteiga em uma assadeira, deixe espaço entre elas, pois irão se esparramar enquanto assam.
retire assim que estiverem corados, estarão ainda um pouco mole mas afirmam assim que esfriar.

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

sábado, 17 de janeiro de 2015

gengibre (gari)


para fazer esta conserva, o ideal é que a raiz seja jovem e bem fresquinha, quanto mais nova, menos fibra.
bem, não tem segredo, é só tirar a casca com uma colher ou com faquinha de legumes, usar a apenas as partes mais retas para fatiar, quanto as pontas e partes irregulares, eu congelo em potes de vidros e uso nas minhas preparações, especialmente em frangos e carne de porco, ralo congelado mesmo e junto aos temperos das carnes.

gengibre gari

tem poucas etapas:

a primeira, é fatiar finamente e colocar numa peneira com uma colher de sal, deixar descansando por meia hora para desidratar, depois deste tempo secar, sem lavar, com papel toalha, fique tranquila não ficará salgado
a segunda, é preparar a calda, que consiste em uma mistura de 1/3 de agua, 2/3 de vinagre de arroz e açúcar, levar para ferver e depois de pronto colocar sobre as fatias já acomodadas nos vidros
a terceira, é deixar esfriar, tampar e levar a geladeira 

















observações desta cozinha:

eu não coloquei as quantidades, pois fica muito difícil calcular o rendimento, pois se trata de raiz muito irregular, mas vou explicar como chego na quantidade da calda.
fatio e coloco dentro dos vidros que vou usar para as conservas, completo com agua, depois passo pela peneira sobre uma jarra medidora, assim descubro aproximadamente quanto de calda vou precisar, por exemplo, se sobrou 300 ml de agua, calculo uns 30% a mais de liquido considerando a fervura da calda e desidratação e faço os calculo aproximados, neste exemplo seriam 110 ml de agua e 220 de vinagre de arroz, quanto ao açúcar costumo usar a metade da quantidade de liquido.
sei, que normalmente o gari não leva agua, mas aqui preferimos não tão forte de vinagre e fica bom assim.
para todas as conservas, é necessário a esterilização dos vidros, este procedimento é feito após a medição.
nunca use colher molhada para retirar dos vidros.

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

bread stick de calabresa


claro que não preciso de motivo para fazer pães ou massas...
mas quando tem motivo, qualquer que seja, a consciência fica menos pesada.
fui guardar os ovos na geladeira e acabei trincando dois, pronto estava ai a desculpa para fazer uma massa.

















então para aproveitar os ovos, a minha cabeça de padeira, nem sequer pensou num omelete, veio logo uma massinha leve com cobertura, ops! 
como era domingo tinha uma sobrinha de molho vermelho, como sempre tenho calabresa processada  para as emergências, pronto não faltava mais nada, mãos a obra...

















não gosto de calabresa tortas normalmente corto as pontas e as congelo as partes retas  para um melhor fatiamento, as pontas processo e guardo para recheios. descongelam rapidamente e algumas vezes  conforme for empregar pode se usar parcialmente congelada, uma verdadeira mão na roda!

















depois da massa na assadeira, espalhei o molho, a calabresa processada e mozzarella ralada, com uma espátula marquei as tiras e sobre cada tira coloquei uma folha de manjericão e salpiquei orégano.

















bread stick

2 ovos
1/4 de xícara de azeite
1/4 de xícara de açúcar
1 colher de sopa de sal
1 colher de sobremesa de fermento seco biológico
1 xícara de agua morna
aproximadamente 4 xícaras de farinha de trigo

misturei o os ovos, o azeite e a agua num copo de shake e despejei sobre os secos, misturei bem até ficar uma massa macia e homogênea, usei quase 4 xícaras de farinha pois meus ovos eram jumbo, a quantidade de farinha vai depender do tamanho dos ovos.
deixei a massa descasar por 45 mim, abaixei a massa e e deixei sobre a pedra uns 10 mim para relaxar o glúten, em seguida untei com azeite uma assadeira e espalhei a massa, esticado para as bordas, quando a massa acomodou, não retraia mais, iniciei a cobertura.
deixei crescer por mais 20 minutos e coloquei no forno médio

















Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

domingo, 11 de janeiro de 2015

frutas com creme

porque o calor é grande

















porque adoro frutas























porque um creminho cai bem

















porque é tudo de bom e eu mereço!

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

focaccia de azeitonas

acho que agora acabou...
neste final de ano saíram muitas focaccias da minha cozinha, pois foi um tal, de comemora aqui, comemora ali, brinda aqui, brinda ali.
e sempre é de bom tom levar algo, se for de comer melhor ainda!
e se harmonizar com vinho e cerveja, pronto, alegria de muitos.

a focaccia é muito versátil, você usa a cobertura que tem em casa, se não tiver nada, fica bom com azeite, sal grosso, ervas secas ou frescas

focaccia de azeitonas
fontes
Na Biroskinha
Alquimia na Cozinha da Vice


Ingredientes:

- 1 xícara de água morna
- 1 colher (sopa) de açúcar
- 1 envelope de fermento seco (usei 2 colheres de sobremesa)
- 1 colher (sopa) de azeite (usei 3)
- 3 xícaras (chá) de farinha de trigo
- 2 colheres (chá) de sal
- 2 tomates picados

- 1 cebola pequena batidinha
- azeitonas
- orégano
- azeite para regar (e untar)

Modo de fazer: Dissolver o fermento na água morna, acrescentar um pouco da farinha da receita até virar um mingau, deixar crescer. Depois de crescido, acrescente os outros ingredientes, amasse muito bem.
Deixar a massa repousando por 1 hora.
Depois disto trabalhar a massa com a palma das mãos, retirando as bolhas de ar. Deixar descansar mais 10m. Abrir a massa em uma forma untada, e com a ponta dos dedos faça marcas sobre a massa, coloque o tomate, as azeitonas, a cebola e salpique oregano, regue com bastante azeite e leve ao forno até dourar. 

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

sábado, 3 de janeiro de 2015

trança de chia # 121

já que encerrei as postagens do ano com uma receita de pão, que tal começar o ano com mais um pãozinho?

esta é uma massa simples com sementes de chia, nesta usei a minha receita básica só que substitui uma parte de leite por iogurte, o resultado foi um pão super macio, com miolo cheio de alvéolos, nem foi preciso usar a faça foi só necessário puxar as tiras e pronto.



















a ideia era servir quente com vários tipos de patês e pastinhas,
então atendeu perfeitamente o propósito, mas confesso que o que fez mais sucesso foi manteiga e requeijão...

















trança de chia

4 xícaras de farinha de trigo (aproximadamente)
3 colheres de sopa de chia
2 colheres de chá de fermento seco biológico
1/3 de xícara de açúcar
1 colher de sopa de sal
1/3 de xícara de óleo
1 ovo grande
100 ml de água

170 ml de iogurte (uso caseiro) mas a receita está adaptada a um copinho de iogurte natural das marcas de primeira linha

misture os secos (reserve 1 xícara de farinha para a sova) incluindo as sementes de chia, faça uma cova e agregue o ovo, óleo, o iogurte e a água, amasse e sove ate que fique uma massa macia, acrescentando a farinha reservada para a sova, deixar crescer até dobrar de volume.

divida a massa em 6 partes, fazendo assim, forme uma bola  e divida ao meio e cada metade em três, enrole em tiras e faça a trança, deixe crescer novamente. 
asse em forno médio por aproximadamente 30 minutos.

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

feliz 2015

pronto 2014 chegou ao fim. 
foi um ano complicado, tivemos muitas perdas, não perdas em particular, felizmente, mas perdas coletivas.
talvez a maior delas (coletivas) não tenha nem sido perder a copa em casa, mas sim perder a chance de grandes mudanças, mudanças que impactariam em nossas vidas para os próximos anos.
mas enfim, é vida que segue...
e 2015 estará no dando uma nova chance, novos momentos e realizações.


para 2015 desejo a todos nós,
que tenhamos ganhos, ganho em particular, ganhos em coletivo;
que tenhamos força e coragem;
que tenhamos saúde e bem estar;
que tenhamos paz e harmonia;
que tenhamos paciência e disciplina;
que tenhamos foco e perseverança;
que tenhamos ideias e projetos; 

que tenhamos humildade e fé;
que os amigos não nos faltem;
que a família permaneça unida;
que sempre existam planos;
que os sonhos sejam constantes;
que jamais percamos a esperança;
que o amor seja verdadeiro e o lema mais importante; 
que o perdão e a solidariedade sejam sempre presentes na sua vida;
que a tolerância e o respeito permeiem os seus dias; 
que Deus nos guie, nos guarde e nos proteja;
que a vida não seja adiada;
que o hoje seja sempre mais importante, do que o ontem e que o amanhã;
enfim, 
desejo que 2015 seja um ano de muita luz, um ano radiante!


Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

pão de bolotas # 120

fazer pães sempre me encantou...
desde muito cedo faço pães, quase sempre pães simples de receita autoral. 
na verdade são variaveis de uma receita base, farinha, agua, açúcar, sal, algum tipo de gordura e fermento.

nesta postagem quero falar um pouco de como surgem as receitas, percebi que esta é um indagação recorrente quando a pessoas vem a quantidade de receitas postadas aqui no blog e me perguntam como assim:
mais de 100 receitas?


é simples, a receita nasce pelos seguintes motivos:
  1. para que fim eu quero o pão
  2. preciso consumir alguma farinha
  3. quero servir com o que
  4. é para presentear
  5. preciso servir quente
  6. qual é apresentação que quero dar ao pão
depois disto fica mais fácil conceber a receita e partir para a alquimia.

já falei em postagens anteriores e especifica sobre farinhas, mas não custa repetir aqui, costumo ter muitos tipos de farinha para varios fins, 3 ou 4 tipos de farinha branca variando entre si, farinhas mais fortes ou mais fracas, farinhas integrais de tons mais claros ou mais escuros, farinhas de centeio, gérmen de trigo, trigo em grãos, trigo de quibe, fubá mimoso, semolina, 
enfim muita variedade e sempre aberta, então não raro é ter que consumir para não ficar velha.
quem me acompanha sabe que raramente uso ovos para pincelar, gosto muito de salpicar farinha, os pães rústico me remetem as padarias da França me trazem um enorme saudosismo.
quando quero um acabamento mais corado costumo usar leite para pincelar e  açúcar cristal grosseiramente.
a moldagem do pão normalmente está associada se vai ser transportado,
se for preciso pensar na embalagem de antemão, 
se vai ser servido em cesta ou em tábua, ou em paezinhos individuais,
se for para acompanhar frios, geleias
ou apenas para servir quente com manteiga ou azeite.
raramente uso leite e quando faço sempre uso agua mineral para mesclar, ovos também não são muito presentes nas minhas receitas.
quanto a gordura, quase sempre uso oleo de girassol ou canola, mas em algumas receitas o azeite é muito bem vindo, especialmente nos pães de farinha branca, se a massa for mais adocicada a manteiga é sempre um excelente opção.
invariavelmente meus pães tem duplo crescimento, o primeiro no bowl e o segundo após moldagem ou já na assadeira.
outra coisa que quase nunca faço é untar o bowl para colocar a massa, prefiro sempre usar farinha no bowl e se possivel no fundo da assadeira, mas isto só vale para assadeiras rasas, quando é pão enformado se faz necessário untar para desenformar bem.
sempre tirar da forma e deixar esfriar em grelha com ventilação inferior, isto dará um durabilidade mais longa ao  pão e ele não terá a umidade no fundo devido ao calor retido durante o resfriamento.
o fatiamento também deve ocorrer depois do resfriamento estar completo para não "amassar" o miolo
pronto, agora você que leu até aqui, conheceu um pouco de como surgem as minhas receitas e viu as dicas da minha cozinha, também deve ter percebido que é tudo muito simples sem técnicas especiais, apenas rituais.


pão de bolotas

100 ml de iogurte caseiro
150 ml de agua
50 ml de óleo de girassol
misturar tudo muito bem, uso copo de shake  para isto.
mum bowl misturarr 3 xicaras de farinha branca do tipo especial, farinha de primeira linha, (reservar aproximadamente 1 xicara para a sova) 1/2 xicara de açucar, 2 colheres de sobremesa de fermento biologico seco, misturar bem e em seguida misturar os liquidos, quando começar agregar colocar uma colher de sopa de sal, passar para a pedra e iniciar a sova agregando a farinha reservada, quando a massa estiver homogênea, colocar com ajuda de um peneira fina, farinha um bowl, colocar a massa para o primeiro crescimento, dar um picos e deixar crescer até dobrar de volume, em seguida abaixar a massa, fazer bolas e colocar em forma de pão untada, dar picos em forma de cruz e antes de levar ao forno pincelar leite e salpicar açucar cristal.
assar em forno médio até corar.

este pão que foi embalado para presente é a mesma receita acima,
porém sem o acabamento de açúcar para "não melar" e deixar a embalagem feia, já quer foi feito a noite e entregue pela manhã.

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

domingo, 21 de dezembro de 2014

risoto de aspargos e peras

risotto sempre cai bem...
os meus favoritos são os que levam frutas, 
adoro esta combinação nos risottos.
ultimamente, tenho visto na mídias sociais postagens do tipo,
abaixo maçã na maionese e uvas passa no arroz,
se você pensa assim  esta postagem não é para você,
enfim paladar é paladar, e é muito particular.

este foi servido como entradinha de um jantar, mas me arrependi porque  ficou tão saboroso que deveria ter servido como prato principal


usei aspargos brancos espanhol em vidro e pera portuguesa

usei caldo de legumes, feito com cenoura, salsão, alho poro, cebolas, alho e ervas frescas da horta, o caldo estava congelado e durante o descongelamento foi hidratando as uvas passas, que só foram agregadas no final da preparação










risotto de aspargos e peras


para cada xícara de arroz uso aproximadamente um litro de caldo de legumes caseiro aquecido
dourar a cebola picadinha em uma colher de sopa de azeite extra virgem com 1 colher de sopa de manteiga, juntar na cebola 1 xícara de arroz carnaroli e ir fritando lentamente tomando cuidado de não queimar a cebola, quanto mais fritar melhor fica o risotto, depois agregar 1/4 de xícara de vinho branco seco* e deixar evaporar. em seguida começar a juntar o caldo de legumes as conchadas e deixando cozinhar e evaporar (método normal de se fazer risoto) mexendo sempre, depois da terceira ou quarta conchada de caldo de legumes, previamente aquecido, juntar 1/3 xícara de uvas passas e  os aspargos cortados, quando cozimento estiver quase completo, juntar as peras, mexer levemente e  por ultimo juntei 4 colheres de sopa de requeijão cremoso e 1/4 de xícara de parmesão ralado.
deixar descansar por 5 minutos e servir.

* se você não tiver vinho aberto, use vodka ou até mesmo cachaça



montar os pratinhos e guarnecer com ervas frescas

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

pão rústico de aveia #119

vivo variando os pães de cada dia...
no de hoje usei aveia, uma pequena parte de farinha integral e soro de ricota.
o resultado foi um pão super macio, que fatia perfeitamente
e rendeu excelentes sanduíches com ricota, rúcula e sobras de carne de panela


na manhã seguinte o pão não deixou desejar,
uma fatia grossa, manteiga dos dois lados, 
resultou um tostado sensacional

se você tem tem uma receita favorita de pão caseiro,
experimente substituir 1 xícara de farinha branca por 1 xícara de aveia e 1/2 xícara de farinha integral, gemem de trigo ou centeio.
acredite, o resultado vai ter surpreender, positivamente.


pão rústico de aveia

 3 xícaras de farinha de trigo (aproximadamente)
1 xícara de aveia em flocos médios
1/2 xícara de farinha de trigo integral ou centeio ou gérmen de trigo
2 colheres de chá de fermento seco biológico
1/3 de xícara de açúcar
1 colher de sopa de sal
1/3 de xícara de azeite de oliva
1 ovo grande
250 ml de soro de ricota

misture os secos, faça uma cova e agregue o ovo, o azeite e o soro de ricota, amasse e sove ate que fique uma massa macia, deixar crescer ate dobrar de volume, modelar os pães, deixar crescer novamente. 
assar em forno médio por aproximadamente 30 minutos. 

estes pães congelam perfeitamente

Bookmark and Share
Print Friendly and PDF